Atividades > Projetos em curso

Habilidades e Competências

Os Projetos permanecerão entrelaçados, no decorrer do Ano Letivo, à semelhança da Teia da Vida. Cada agrupamento abordará segmentos ajustados de acordo com a compreensão, a curiosidade, o interesse e a possibilidade de engajamento do grupo. Os educadores como “estimuladores das redes neurais” embarcarão com as crianças numa viagem cultural pelos diferentes continentes. Os mais curiosos descobrirão o manuseio de mapas, conhecerão a história, a geografia e a cultura de cada continente, porém, todos desvelarão o Mundo. O vocabulário será ampliado, pesquisas sobre a curiosidade na culinária, nas brincadeiras típicas, nas diferentes formas artísticas estarão presentes no cotidiano dos agrupamentos. Um olhar especial estará direcionado para compreensão dos conceitos ecológicos e da verificação das alterações de vários ecossistemas pelo homem atual. A internalização da aprendizagem sobre Ecologia Humana estará presente na relação das crianças com a biosfera, com objetivo da preservação da saúde, não só física, mas também social e planetária.

Gardner especifica que cada uma das inteligências de forma independente e passa por vários estágios de desenvolvimento.

A primeira fase de desenvolvimento das inteligências é chamada “padrão cru” por Howard Gardner. Nesta fase, os bebês começam a perceber o mundo ao redor e dá-se o aparecimento da competência simbólica.

Na segunda fase, as inteligências revelam-se através dos sistemas simbólicos, e ocorre por volta dos dois aos cinco anos de idade. Na terceira fase, o desenvolvimento é mais seletivo e a criança desenvolve as habilidades mais valorizadas na cultura.

No último estágio, que ocorre já na adolescência e na idade adulta, um campo específico é focado, e as inteligências revelam-se através de ocupações vocacionais (ou não).

“Na Escola, o prazer e o desejo de todos não devem submeter-se aos desígnios da razão, ou seja, importa desenvolver o pensamento lógico e a cognição, em parceria com as demais dimensões humanas, sempre”.

Rubens Alves

Hoje, as crianças vivem num ambiente mulitimídia, porém ele não consegue substituir o encontro com o outro e as vivências com o ambiente natural. O contato virtual complementa o conhecimento, é uma janela para o mundo. Posteriormente, a inteligência interpessoal pode ser ampliada através de trocas com outras crianças e culturas.

A estimulação das Múltiplas Inteligências e da Empatia precisa de investimento pelos canais da afetividade e da sensibilidade dos cuidadores (família e professores).

É necessário aproveitar as “janelas abertas” das inteligências, nos primeiros anos dos pequeninos.

De acordo com Gardner oito são as Inteligências:

CORPORAL CINESTÉSICA: autocontrole corporal, coordenação motora;

INTERPESSOAL: compreensão das pessoas (intenções, motivações, humores, temperamentos, desejos) e relacionamento eficiente (respostas adequadas);

INTRAPESSOAL: autoconhecimento e uso preciso (ideias, habilidades, necessidades, sonhos, desejos) e gerenciamento (emoções, sentimentos);

LINGUÍSTICA OU VERBAL: uso objetivo da linguagem (convencer, agradar, estimular, comunicar, relatar), escrita e oral;

LÓGICO –MATEMÁTICA: discernimento para padrões lógicos e símbolos numéricos ou gráficos;

MUSICAL: percepção (tons, timbres, ritmos, temas), reprodução e produção;

LÓGICO/MATEMÁTICA: sensibilidade (símbolos, relações, padrões), raciocínio lógico/dedutivo e solução de problemas;

ESPACIAL: percepção (formas espaciais, relações e padrões visuais); visualização em 3D (composição, transformação, equilíbrio, orientação, tensão).

NATURALISTA: interesse em participar de projetos ecológicos ou de preservação ambiental.

Topo